Acervo Histórico do Livro Escolar - AHLE

O ACERVO HISTÓRICO DO LIVRO ESCOLAR é formado pelo conjunto de livros escolares das antigas bibliotecas públicas infantis da cidade de São Paulo.

Com 5 mil volumes, o Acervo é composto por cartilhas, manuais escolares de todas as matérias de ensino, antologias literárias e livros de referência de uso escolar, entre outros, do século XIX até a década de 1980 e abrange os cursos primários, os secundários, os de formação de professor e o ensino técnico.
O Acervo está localizado na Biblioteca Infantojuvenil Monteiro Lobato, equipamento da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

Neste blog serão publicadas informações sobre esse acervo.


Seja bem-vindo.







terça-feira, 10 de maio de 2011

Algumas considerações sobre pesquisa em História da Educação (1)

O objetivo principal deste Blog é divulgar um acervo de livros escolares antigos, fonte de pesquisa, na medida em que recupera aspectos culturais e educacionais de várias épocas.
Como instrumento pedagógico, o livro escolar é expressão de conteúdos, de métodos de ensino, mas também de ausências, do que foi excluído e não explicitam o seu uso na prática educativa.
Nesse sentido a reunião de informações, muitas vezes fragmentadas e as conexões com um universo mais amplo, transformam esse material em significados explicativos, que contribuem para o conhecimento do processo educacional e não se tornem apenas fragmentos esparsos do passado. Nas palavras de HOBSBAWM (1998, p. 229), não só descobrir o passado, mas explicá-lo e ao fazer isso, fornecer um elo com o presente.
Para tanto o livro escolar é um material que não deve ser supervalorizado, pois por si só não contém um caráter elucidativo; a problematização dentro de um quadro explicativo e de um referencial teórico; o cuidado para não nos deixarmos influenciar por uma visão impregnada do presente e a necessidade de historicizá-los são alguns procedimentos que atribuem ao livro escolar valor documental para a pesquisa.
Objeto da cultura, o livro escolar insere-se em um ambiente pedagógico específico e em um contexto histórico e cultural, como produto da intencionalidade do processo educativo que por sua vez está impregnado pelos vários interesses que compõe determinada organização social.
A par disso os livros escolares podem ser estudados em várias áreas do conhecimento histórico. Por exemplo, ao resguardarem uma forma de expressão que se alterou com o tempo, proporcionam a recuperação dos modos de comunicação e de linguagem entre o autor, o editor e a criança e o jovem escolar. As diferentes edições de um mesmo título oferecem revisões do livro, novas ilustrações, capas diferentes, informações que caracterizam as mudanças editoriais e o percurso da produção do livro escolar.
A preservação desses livros implica também a preservação da memória educativa e cultural de várias gerações.



Referências bibliográficas: HOBSBAWM, E. (1998) Sobre a História. São Paulo, Cia das Letras, 1998.



Notas: 1. Parte deste texto foi publicada na Revista Online Histedbr.



Imagens:1. Santos, Theobaldo M. (1949) A arte de estudar e fazer exames. SP, Cia Ed. Nacional.


2. Cardim, Carlos A. Gomes (1926) Tradições nacionais. SP, Typ. Siqueira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário